Follow by Email

Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Água de Beber - Capoeira no Teatro

Entre milhares de emoções e sentimentos que a música de capoeira já me proporcionou, uma delas foi ir ao teatro e ver/ouvir minha música ÁGUA PRA VIVER (Lobisomem/Cebolão) sendo interpretada como trilha sonora do espetáculo " ÁGUA DE BEBER " do capoeirista e amigo Cláudio Baltar(Parafina).
Esta música foi composta inicialmente para a campanha social de preservação da água realizado por Mestre Camisa na Praia de Copacabana no ano de 2005 e foi incorporada ao espetáculo ÁGUA DE BEBER desde sua estréia em 2007.
Este espetáculo tem em seu elenco os capoeiristas e camaradas Sérgio Cebollinha, Davi Mico Preto, Rodrigo dos Santos, Charles Rosa, Leão Pequeno, Negreth, Bonézinho, Ninho entre outros.

Escute a música e veja trechos da peça clicando no link do vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=6jFTNKJlkLc


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Um cordel para CARTOLA DA MANGUEIRA



No próximo dia 11 de outubro, o grande poeta Angenor de Oliveira, o Cartola da Mangueira completaria 104 anos. Fui convidado para participar no sábado dia 6, do evento da ABADÁ-CAPOEIRA no Centro Cultural que leva seu nome apresentando um pequeno cordel em sua homenagem. Preparei um martelo agalopado, modalidade do cordel onde, as estrofes são de 10 versos de 10 sílabas cada.  Eis meu pequeno tributo ao grande mestre e o vídeo da apresentação:
                                                                                                                                                               
UM MARTELO PRO CARTOLA
Autor: Victor Alvim (Lobisomem)

Lá no morro desponta a alvorada
Eu levando correndo e olho o céu
Uma nuvem descortinando um véu
Emoldura com sua cor rosada
A Mangueira uma árvore sagrada
Baobá do sambista brasileiro
Seu cenário é o Rio de Janeiro
O sol nasce trazendo um bom dia
Tingindo com as cores da poesia
A estação do seu poeta primeiro

Nestas cores eu busco inspiração
Verde e rosa combinação perfeita
É chegada a hora da colheita
Na Mangueira poesia é tradição
Feito fruta no pé, raiz no chão
Neste chão que o menino joga bola
Na favela onde tanta coisa rola
Onde mora um povo tão bonito
Neste solo o poeta fez se mito
Neste chão que viveu mestre Cartola

O seu nome Angenor de Oliveira
Veio ao mundo cumprir sua missão
Fazer música com alma e coração
E fundar sua estação primeira
A escola de samba de Mangueira
Onde o mestre Cartola foi reitor
Dedicou sua vida com amor
E a Mangueira hoje é orgulhosa
Deste mito e herói da verde e rosa
O querido Cartola Angenor

Quando o mundo me vem feito um moinho
Triturando meus sonhos e ilusões
Eu começo a lembrar suas canções
E cantar suas músicas sozinho
Eu disfarço e choro um pouquinho
Pro inverno do tempo amenizar
Na verdade o que me faz chorar
É a saudade que o Cartola deixou
E a Mangueira toda também chorou
Quando foi para o céu com Deus cantar

E até mesmo as rosas que não falam
Porém choram sua falta sentindo
Mas quando alguém me ver sorrindo
São sambas de Cartola que me embalam
E o perfume que as rosas exalam
Trazem sua presença e energia
Entre as cordas de aço e a bateria
Da Mangueira sua querida escola
Corro, olho pro céu, vejo Cartola
E meu peito explode de alegria



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Zeca Pagodinho, Cosme & Damião em CORDEL


O Magnífico Encontro de Zeca Pagodinho com a Patota de Cosme & Damião
Literatura de Cordel – Autor Victor Alvim (Lobisomem)
Os santos gêmeos Cosme e Damião e a unicidade com Zeca Pagodinho são traduzidos de forma completa e abrangente nos versos de Victor Alvim na mais popular das culturas literárias, o Cordel, através da arte deste ilustre menestrel em mais um belo folheto, Lobisomem, este poeta genuinamente carioca mostra grande habilidade, nesta fabula envolvente, promovendo um encontro comovente entre Zeca Pagodinho com a patota de Cosme & Damião.
A religiosidade de Zeca Pagodinho fascina com tamanho sentimento, gratidão e fundamento de quem tem a proteção de São Cosme e Damião, irradiação infantil de uma crença que arrebata centenas de fiéis, onde basta acreditar para receber, ter fé e conhecer o poder da Ibejada, liderados por Cosme & Damião, confiança imperial de Zeca Pagodinho, personagem principal deste Cordel.
Em um divertido sonho, a delirante fantasia se mistura a magia da espiritualidade, inspiradas pela luz divina e a proteção de São Cosme e Damião, Zeca Pagodinho, Noah e seus amiguinhos astrais, ilustram o livreto em mais um, entre tantos textos do folclore brasileiro.
O encantamento deste Cordel traz a público, a lembrança de que em todo lugar, sob qualquer circunstância é preciso ter esperança, acreditar feito criança que é possível ser feliz.
Não por acaso, uma feliz coincidência fez o poeta Victor Alvim ocupar a cadeira 27 da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, também no mês das crianças, onde São Cosme e Damião tem seu dia.  Autor de inúmeros livretos Victor Alvim costuma adequar sua arte a sua realidade, foge do cenário comum desta arte literária de origem nordestina, onde as figuras mais presentes e famosas por seus feitos lendários nas terras áridas do sertão são: Lampião, Maria Bonita, Luiz Gonzaga e Padre Cícero, contados e cantados tradicionalmente pelos trovadores do nordete brasileiro, cordelistas que dão lugar a ginga carioca na maestria de Lobisomem de viajar nas esferas culturais deste país, se utilizando da malemolência dos personagens urbanos, como: Jorge Benjor e o santo guerreiro São Jorge, Jovelina Pérola Negra, Bezerra da Silva, Zeca Pagodinho que pela segunda vez protagoniza um livreto de Cordel de Victor Alvim e o Cinquentenário Bloco Cacique de Ramos, entre outros, no panorama da cidade maravilhosa.
O poeta Victor Alvim assim como Zeca Pagodinho servem de exemplo aos devotos de Cosme & Damião, e a cada 27 de Setembro, reúnem os amigos, cada um em seu habitat, para manter a tradição distribuindo de bom coração muitos doces a criançada, nesta edição especial de lançamento do Cordel O Magnífico Encontro de Zeca Pagodinho com a Patota de Cosme & Damião, Victor Alvim distribuirá os folhetos nos saquinhos de doces em agradecimento e total devoção a Ibejada.
O Cordel O Magnífico Encontro de Zeca Pagodinho com a Patota de Cosme & Damião, de Victor Alvim, está disponível a venda, os interessados poderão entrar em contato, através do telefone (21) 9883-8945 ou pelo email: victorlobisomem@yahoo.com.br
--
Toque de Mídias - Divulgação e Marketing
Texto: Nayra Cezari

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

JOVELINA PÉROLA NEGRA EM CORDEL & SAMBA NA FEIRA

CORDEL & SAMBA na FEIRA para homenagear JOVELINA PÉROLA NEGRA

O lançamento oficial do livreto de literatura de cordel " JOVELINA PÉROLA NEGRA e a Confusão na Feirinha da Pavuna", de autoria de Victor Lobisomem , vai acontecer no próximo domingo dia 5 de agosto a partir da 11 da manhã na roda de samba da Feira da Glória. Este cordel é uma pequena homenagem à Jovelina e foi inspirado na letra da música “Na Feirinha da Pavuna” de sua autoria. Expressões retiradas de outras composições gravadas por ela também foram utilizadas no intuito de fazer alusão a sua obra musical.
Entre barracas de frutas e verduras, reunindo músicos, compositores e gente da cultura, comendo pastel e tomando caldo de cana ou aquela gelada, nessa que é uma das feiras mais simpáticas do Rio.
Rola pertinho do histórico relógio (1905) do bairro, próximo à estação do metrô Glória.
A roda de samba é um evento da Associação de Moradores AMA-Glória e é comandada pelo grupo Time de Crioulo





segunda-feira, 18 de junho de 2012

Lobisomem, Adelzon Alves e Viva o Samba na Rádio Nacional

Mais uma vez recebi o convite para participar do programa da Rádio Viva o Samba e Adelzon Alves na tradicional Rádio Nacional num programa em homenagem aos 100 anos de Luiz Gonzaga.
Veja um trecho da participação no vídeo abaixo:

quinta-feira, 17 de maio de 2012

SECA DO CORAÇÃO

 
 
SECA DO CORAÇÃO
 (Autor: Victor Alvim )
 O sertão já foi muito castigado
Pela seca implacável e inclemente
Que maltrata a terra e sua gente
De fome e de sede morre o gado
Deixa o solo totalmente rachado
Sem chance nenhuma pra plantação
Falta água, comida, leite e pão
Falta a refeição por sobre a mesa
Sobra dor, amargura e tristeza
Quando a seca castiga o meu sertão

 
 E assim já senti meu coração
Que também já foi muito maltratado
Já senti o meu peito esturricado
Rachado feito o solo do sertão
Parecendo não ter mais salvação
E nem forças pra poder suportar
Gente seca que gosta de humilhar
E em seu peito só trazem a secura
E uma espécie de pedra da mais dura
Em vez do coração devem guardar

 

Já senti minha alma perfurada
Por pessoas sem muito sentimento
Que parecem um cacto espinhento
Mas que um dia eu chamei de minha amada
Porém ela com a alma ressecada
Parecia gostar do meu sofrer
E assim nunca pôde perceber
Que ao contrário do que ela tentava
Meu próprio coração nunca secava
Pois meus olhos viviam a chover
                                                          (Victor Alvim)


terça-feira, 24 de abril de 2012

Lobisomem & Jorge Benjor em homenagem a São Jorge

No dia 23 de abril, o compositor, cantor e devoto de São Jorge, Jorge Benjor organizou um encontro de música e poesia em homenagem ao Santo Guerreiro. A convite de Benjor, o poeta Victor Alvim, este "Lobisomem" que vos fala, participou do evento e declamou um martelo agalopado de sua autoria. Assistam um trecho da festa no vídeo acima, vejam as fotos e leiam o poema. Salve Jorge !

23 de Abril
Autor: Victor Alvim (Lobisomem)

Todo ano eu fico esperando
O dia 23 de abril chegar
Conto os dias e as horas sem parar
E esse clima vai me contagiando
Vejo todo o povo se preparando
Cada um de um jeito diferente
Para homenagear o mais valente
Dos guerreiros de toda a nossa história
Que é merecedor de muita glória
Pois é o protetor da nossa gente

No dia 23 de madrugada
Os devotos se enchem de esperança
Cada bairro armando uma festança
A cidade é branca e encarnada
Quando chega o momento da alvorada
Só se escuta o toque do clarim
Que parece ecoar dentro de mim
Me inundando de luz e gratidão
No meu peito explode uma emoção
Feito uma queima de fogos sem fim

 O guerreiro do alto a me olhar
E as vezes parece até sorrir
Nos seus olhos eu vejo refletir
A estrela que vive a me guiar
Minha estrada e a lua a brilhar
Na expressão do amor e da verdade
Sabedoria e serenidade
A coragem que abre os caminhos
Entre as pedras, as flores e os espinhos
Pra seguir vencedor com humildade

Sou devoto, sou filho, sou guerreiro
Sou soldado da sua companhia
Ordenança do santo que me guia
O fiel ginete e o cavaleiro
Cavalgando e lutando o tempo inteiro
Pra vencer todo dia um dragão
Na espada, na lança ou na mão
Sou o bem e não temo mal algum
Salve Jorge! Eu sou filho de Ogum
Trago Deus dentro do meu coração




quinta-feira, 1 de março de 2012

Rio de Janeiro em GALOPE A BEIRA MAR

GALOPE CARIOCA A BEIRA MAR
(Autor: Victor Alvim)
 
Nasci e me criei no Rio de Janeiro
Com a benção do Nosso Cristo Redentor
Que com suas mãos me amparou com amor
E me entregou pra São Jorge Guerreiro
São Sebastião padrinho padroeiro
Eu tenho orgulho e prazer de falar
Da minha cidade, desse meu lugar
Que igual não há nesse mundo inteiro
Me orgulho de ser do Rio de Janeiro
E de ter nascido na beira do mar
 
Já fui da Rocinha a Vigario Geral
Costurando beco, escada e viela
Nasci no asfalto, conheço a favela
Desde Santa Cruz passando na Central
Da Urca ao Flamengo, do Leme ao Pontal
E a trilha sonora não pode faltar
Com Jorge Benjor e Tim Maia a cantar
Cartola, Noel e Nelson Cavaquinho
Martinho da Vila e Zeca Pagodinho
Com a proteção de Ogum Beira Mar
 
Rio tem Portela, Salgueiro e Mangueira
Tem Imperatriz, Tijuca e Beija Flor
A igreja da Penha e o Arpoador
O Império e o Jongo lá em Madureira
Dona Ivone Lara e Silas de Oliveira
Cacique de Ramos pra caciquear
Os Arcos da Lapa pra malandrear
E em todo lugar roda de capoeira
No Horto a Oxum reina na cachoeira
E a Yemanjá é a rainha do Mar
 
Mulheres mais lindas de rara beleza
Nas ruas do Rio vão nos encantando
No Maracanã o meu time jogando
E o cordel rolando em Santa Tereza
Na Pedra Bonita a Vista Chinesa
E a todos aqui eu vou desafiar
Cidade melhor nunca vão encontrar
Com toda certeza Deus é Brasileiro
Por isso criou o Rio de Janeiro
Cantando galope na beira do mar

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Aniversário do Zeca Pagodinho ! Todos convidados !











Dia 4 de fevereiro é aniversário do Zeca Pagodinho, que dispensa apresentações. E estão todos convidados! Convidados a assistirem esse vídeo onde declamo, juntamente com a apresentadora Liliane Reis, um trecho do meu cordel A FANTÁSTICA HISTÓRIA DE ZECA PAGODINHO, O DISCO VOADOR E O EXTRATERRESTRE que publiquei em 2009


Para ler o cordel completo, entre em contato comigo e adquira o livreto.


Feliz aniversário ZECA PAGODINHO !

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

CAMAFEU DE OXÓSSI

CAMAFEU DO MERCADO
Em homenagem ao lendário "Camafeu de Oxóssi, compus a música "Camafeu do Mercado" que gravei no meu cd "Capoeira Popular Brasileira" acompanhado do violão 7 cordas de Julião Pinheiro. Confiram a gravação no vídeo logo abaixo a definição de Jorge Amado sobre o amigo.


Jorge, o Amado, em seu livro “Bahia de todos os santos: guia das ruas e mistérios da cidade do Salvador”, assim definiu Camafeu de Oxóssi:


“Camafeu de Oxossi, Obá de Xangô, solista de berimbau de capoeira e proprietário da Barraca São Jorge, aberto em riso, cercado de objetos rituais, de obis e orobôs, ensina mistérios da Bahia às loiras turistas de São Paulo ou Nova Iorque. A cortesia é grande, o saber maior, o preço barato. Se lhe pedirem, ele tomará do berimbau e tocará... No Mercado, em meio a seus orixás, aos colares e às figas, queimando o incenso purificador, rindo sua gargalhada, saudando São Jorge, Oxossi, rei de Ketu, o grande caçador, Camafeu comanda a música, o canto e a dança. Um baiano dos mais autênticos, um dos guardiões da cultura popular.”

Camafeu também foi homenageado em música composta por Martinho da Vila que ainda teve regravações de CANDEIA e LUIZ CARLOS DA VILA.

Para saber mais sobre Camafeu de Oxóssi leiam a matéria abaixo:

http://spirituslitterae.blogspot.com/2009/03/camafeu-de-oxossi-o-personagem-vivo-de.html

domingo, 22 de janeiro de 2012

O bicho pegou no Cantagalo !


Conforme divulgado aqui no blog e nos mais diversos meios de comunicação, no sábado 21 de janeiro de 2012, o Museu de Favela no alto do morro do Cantagalo, zona sul do Rio de Janeiro, recebeu o evento " BEZERRA DA SILVA em CORDEL, SAMBA E CINEMA "


Cerca de 250 pessoas de diferentes bairros do Rio de Janeiro e turistas de outros estados e países, que se reuniram na base do Mirante da Paz, subiram juntos em cortejo pelas escadas e becos da comunidade cantando samba, admirando e fotografando as belas paisagens e recebendo o carinho dos moradores.


Chegando na sede do Museu de Favela, o caldeirão ferveu com a roda do Samba de Benfica e os convidados especiais Wilsinho Saravá, Celinho da Coréia e Mariano Maia.





Emoldurando o evento, tínhamos ao redor a paisagem que incluía a vista do Cristo Redentor, Lagoa Rodrigo de Freita, Morro Dois Irmãos, Pedra da Gávea, Vidigal, Arpoador e o mar das praias de Ipanema e Leblon.






O público ainda assistiu com muita concentração e interesse a apresentação do cordel " A CHEGADA DE BEZERRA DA SILVA NO CÉU", declamado pelo autor, que autografou dezenas de exemplares do livreto.




Finalizando a noite, a exibição do documentário "ONDE A CORUJA DORME" de Marcia Derraik, emocionou e divertiu a todos com images e depoimentos de Bezerra da Silva e seus parceiros compositores.



O evento foi uma parceria da ONG Museu de Favela, Samba de Benfica e Academia Brasileira de Literatura de Cordel, que agradecem a todos os presentes, aos amigos que ajudaram na divulgação e a todos os moradores das comunidades do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho


Fotos: Flavio Santos, Isabell Erdmann e Mau Mendes